Cestaria Indígena (1)

 
Cestaria Indígena (1)
Edição e Pesquisa de Lenise M. Resende


A- Classificação dos cestos conforme o formato:
 
1- Cesto alguidariforme - Em forma de alguidar, parecendo um cone invertido e com a ponta cortada.
2- Cesto bolsiforme - Em forma de bolsa.
3- Cesto bornaliforme - Em forma de bornal, saco que se pendura a tiracolo para transportar provisões.
4- Cesto estojiforme – Pequeno, em forma de estojo ou caixa com tampa, é usado para guardar objetos
5- Cesto gameliforme – Em forma de gamela
6- Cesto paneiriforme – Cesto cargueiro que tem o formato do cesto paneiro, com base retangular e borda redonda.
7- Cesto platiforme – Em forma de prato, é mais raso que o cesto tigeliforme.
8- Cesto tigeliforme – Cesto recipiente em forma de tigela com o fundo côncavo. É muito usado para recolher a massa de mandioca e para servir alimentos.
9- Cesto vasiforme - Em forma de vaso alto e bojudo.

B- Tipos de cestos:
 
 - aturá - (do tupi aturá); uruçacanga; cesto cargueiro, destinado ao transporte de cargas, apresenta uma alça para pendurar na testa,  e têm o formato paneiriforme (do cesto paneiro), com base retangular e borda redonda.
- balaio - cesto grande de palha, junco, bambu ou cipó, cuja boca geralmente é mais larga do que o fundo.
- cabaz - cesto fundo de junco, vime etc., geralmente com tampa e alças.
- cumatá ou ttíiroli - peneira de formato tigeliforme, usada para tirar goma da massa de mandioca e para coar bebidas, como os vinhos de açaí e patauá. (Fonte: Arte Baniwa)
- jamaxi ou jamanxim - cesto cargueiro de três lados, que dispõem de duas alças para carregar às costas, tipo mochila.
- jequi - (do tupi iekeí); cacuri; jiqui; jiquiá; juquiá; (Nordeste) cesto de pesca oblongo e afunilado, feito de varas (taquaras) finas e flexíveis.
- jereré (do tupi iereré); (Região Nordeste e São Paulo) jareré; puçá; landuá; rede cônica de pescar, presa num aro circular, adaptado a uma longa vara que serve de cabo.
- pacará – pakará; (Amazônia) cesta redonda feita com palha de palmeira e em várias cores.
- paneiro - espécie de cesto de vime com alças; (Brasil) cesto de palha de forma cilíndrica, no qual se espreme a mandioca; tipiti; (Amazônia) cesto sem alças, feito em trançado largo de talas de palmeira, geralmente forrado de folhas, muito utilizado para transportar ou acondicionar certos alimentos (farinha-d'água, farinha de mandioca, açaí etc.); É empregado também como unidade de medida. (Dic. Aulete)
- peneira - peneiras são cestos platiformes (em forma de prato), circulares, com talas afastadas, usadas para peneirar a farinha e para transportar o beiju do forno até o jirau. Há vários tipos de peneira usados atualmente: dopitsi peethepóko (peneira de fazer beiju); dopitsi matsokapóko (peneira de fazer farinha); báatsi (peneira de talinhas muito finas de arumã, usada exclusivamente para coar suco de frutas); ttíiroli (de formato tigeliforme, conhecida também como cumatá, usada para tirar goma da massa de mandioca e para coar bebidas, como os vinhos de açaí e patauá)  (Fonte: Arte Baniwa) 
- puçá - (do tupi pysá); (Região Norte) espécie de peneira de pescar camarões, pitus, siris etc.; saco afunilado, de malhas estreitas, para apanhar o peixe fisgado.
- samburá - (do tupi samburá); cesto de cipó ou de taquara de bojo largo e boca estreita, usado pelos pescadores para guardar iscas, petrechos de pesca e o que foi pescado.
- seira – bolsa ou cabaz de junco, vime ou esparto (fibra de gramínea), de tamanho variável.
- seirão – seira grande, saco usado para transportar cargas sobre animais.
- tipiti –  (do tupi tepití); tapiti; cesto de palha de forma cilíndrica, em que se coloca a massa de mandioca ralada para ser espremida na prensa antes de se levar ao forno e de se tornar farinha; paneiro.
- uru - (do tupi urú); cesto feito de palha e folha de carnaúba, com alça, em que os indígenas brasileiros guardam cachimbos, tabaco e outros objetos.
- uruçacanga - espécie de grande uru ou cesto; VER aturá.
- urupema - (do tupi urupéma); jurupema; gurupema; sururuca; urupemba; (Região Norte) cesto raso ou chato, circular, côncavo, feito de um tecido de palha de urubá, ou taquara; espécie de peneira grosseira, destinada a escorrer o leite do coco, passar a massa do feijão cozido, a massa da mandioca ralada, peneirar o milho, o arroz, a farinha etc.
- urutu - cesto paneiriforme que serve para guardar farinha e roupa.

C- Cestos cargueiros usados sobre animais:

- caçuá- (Brasil) cesto feito de cipó, vime ou bambu, com alças e tampa, que se prende às cangalhas para o transporte de pequenas cargas.
- jacá - (do tupi aiaká); caçuá; cesto cargueiro, usado especialmente para transportar cargas comestíveis, preso ao lombo de animais.
- quiçamba - (São Paulo) jacá de taquara em que é conduzido café em grão, do cafezal para a tulha.
- seirão - seira grande, saco feito de esparto (fibra de gramínea), cipó, ou vime, usado para transportar cargas sobre animais.

(Fontes: Dicionários Aulete e Michaelis; Wikipédia)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário