Vocabulário-Letra P (03)

Vocabulário - Letra P (03)
(de termos empregados nos assuntos ligados à Educação Artística)
 
Edição e Pesquisa de Lenise M. Resende 
 
- papel - Os papéis são fabricados com a polpa de fibras, que podem ser de uma variedade imensa de materiais, mas os mais comuns são feitos de fibras de madeira e, os mais nobres, de fibras de algodão puro. Servem para imprimir, desenhar, pintar, cortar, embalar, etc. Papéis feitos de fibra de algodão são altamente duráveis e permanentes. Papéis fabricados com fibra de madeira precisam ser tratados quimicamente para evitar o envelhecimento e deterioração. Cada papel é fabricado visando um uso específico: para uso gráfico, para imprimir jornais, para embrulhos, uso escolar ou no escritório e para uso artístico. Os papéis artísticos são desenvolvidos especificamente para cada técnica: aquarela, pastel, pintura acrílica ou a óleo, entre outras. (Fonte: Blog Desenhando Ideias)
 
A2) Tipos de papel:
- papel H.D. - H.D. refere-se a heavy duty (ing.), ou seja, 'para uso pesado'; tipo resistente de papel de embrulho ou de embalagem, fornecido em bobinas que se encaixam em suportes especiais nos balcões de lojas. (Dic. Aulete)
- papel heliográfico - papel diazo; papel que tem uma de suas faces tratada por processo químico e reage em presença do amoníaco. Existem diversos tipos de papel heliográfico, do mais fino ao mais resistente, e nas cores azul marrom ou preto.
- papel higiênico - papel sanitário; papel fino de uso sanitário. (Dic. Aulete)
- papel ilustração - tipo de papel de superfície lisa e ligeiramente brilhante, usado em impressão com vários matizes de cor. (Dic. Aulete)
- papel imperial - papel velino, de formato grande e qualidade superfina, em que é uso escrever decretos e cartas de lei, bem como requerimentos e petições que se dirigem a corporações ou personagens de elevada categoria. (Dic. Michaelis)
- papel imune - (Brasil), papel isento de impostos por determinação constitucional, destinado a livros, jornais e revistas. (Dic. Aulete)
- papel japonês - papel extrafino, obtido em geral de fibras de cortiça de amoreira, para edições de luxo e de bibliófilos. (Dic. Michaelis)
- papel kraft - papel pardo; papel de embrulho ou de embalagem, muito resistente, de cor parda usado também na fabricação de sacos e envelopes. É usado para fazer desenho, colagem, pintura com guache e dobradura.
- papel laminado - fino, cores diversas, um lado brilhante e o outro branco. É utilizado em trabalhos escolares, para forrar tábuas de bolo, embalar doces e salgados, revestir caixas de presente, etc.



- papel linha d´água - (Brasil) qualquer dos papéis avergoados (levemente transparentes, com linhas verticais e horizontais) que, no Brasil, são usados na impressão de publicações que gozam de isenção fiscal, servindo os traços transparentes (linhas-d'água) como identificação. (Dic. Aulete)
- papel litográfico - Ver Papel ofsete.
- papel lustroso - papel muito carregado de caulim e extremamente calandrado (lustrado); apresenta uma superfície lisa e brilhante, com reflexos esmaltados. (Dic. Michaelis) Ver Papel glacê.
- papel manilha - tipo de papel que tem uma face áspera e outra lisa, geralmente de cor rosa, verde ou amarela. É usado principalmente para embrulhos em lojas comerciais, e confecção de confetes e serpentinas. É usado para fazer desenho, colagem, pintura com guache e dobradura.
 

- papel manilhinha - tipo de papel de embrulho, de cor acinzentada. Por ser usado essencialmente nas padarias, é chamado de papel de padaria ou papel de pão. É usado para fazer desenho, colagem, pintura com guache e dobradura.
- papel manteiga – cor branco pérola, grosso, e antiaderente, por isso é muito usado no processo de assar alimentos.


- papel marmorizado - tipo de papel impresso com padrão que lembra o mármore, usado especialmente por encadernadores para revestir a capa de livros. (Dic. Aulete)
- papel mata-borrão - mata-borrão; papel que chupa a tinta; papel com que se seca a escrita. (Dic. Michaelis)
- papel milimetrado - papel quadriculado, com quadrículos de um milímetro, para o desenho de plantas, gráficos etc. (Dic. Michaelis)
- papel monolúcido - papel (e também cartolina) que tem uma só face lisa e acetinada, conservando-se áspero o lado oposto. É usado para rótulos, cartazes, sacolas, embalagens e papéis fantasia. (Dic. Michaelis)
- papel ofício - papel de formato ofício com 21,59 cm de largura e 35,56 cm de altura (21,59 x 35,56 cm).
- papel ofsete (do inglês offset) - papel litográfico; papel com muita cola, de superfície uniforme, adequado para impressão ofsete e litográfica. (Dic. Aulete e Michaelis)
- papel opalina (opeline) - papel ultra-fino, extra-liso e resistente, acetinado, muito branco. Resistente a correções, é especialmente indicado para lápis, canetas, pena tubular, aerógrafo e para todas as técnicas que requerem uma superfície lisa e traços precisos. É usado na confecção de cartões de visita, convites e diplomas.
- papel Oxford - Ver Papel da Índia.
- papel ozalid - papel sensível à luz, empregado para obter cópias de plantas, diagramas, mapas etc., traçados sobre papel vegetal. (Dic. Michaelis)
- papel pardo - papel kraft; papel de embrulho ou de embalagem de baixa qualidade, de cor parda. (Dic. Aulete)

 
- papel pautado - aquele impresso com linhas horizontais, que servem de guia para a escrita; usado em cadernos escolares. (Dic. Aulete)
- papel pergaminho – papel glassine (cristal); pergaminho vegetal; tipo de papel com aspecto semelhante ao do pergaminho e resistente como este; papel de pura celulose, preparado com ácido sulfúrico, para várias aplicações industriais. (Dic. Aulete e Michaelis)
- papel pigmento - tipo de papel especial usado em fotografia.
- papel prateado - Ver Papel de estanho.
- papel quadriculado - papel esquadrado; papel riscado em quadrículos ou figuras retangulares.
- papel químico - (Lusitanismo) papel-carbono.
- papel reciclado - papel obtido a partir da reciclagem de papéis já utilizados.
- papel registro - papel resistente, empregado em livros de registro.
- papel sanfonado - é aquele papel usado em forminhas de doce.
- papel sensível - Ver Papel fotográfico.
- papel Schoeller (Alemanha) - de uma brancura excepcional, e alta qualidade, é resistente a rasuras e correções (raspagens). É encontrado em várias espessuras, liso ou áspero. Bom para trabalhos gráficos, com aerógrafo, carvão, lápis pastel, aquarela, nanquim e arte final, é muito usado para desenhos de retrato.
- papel strong - papel de embalagem, geralmente branco ou em cores claras. É usado essencialmente para a fabricação de sacos de pequeno porte, forro de sacos e para embrulhos.
- papel sulfite - também chamado de apergaminhado, é o papel branco comum. Feito com pasta de madeira tratada com sulfito, é utilizado em impressoras e fotocopiadoras. Vendido em pacotes de 100 e 500 folhas, pode ter várias cores e tamanhos, sendo o mais comum e conhecido o A4 (21  X 29,7 cm) branco, embora outros formatos como o carta (21,59 x 27,94 cm) e ofício 21,59 x 35,56 cm) também sejam bastante usados. (Fonte: Wikipédia)
- papel sulfurizê – conhecido como o papel manteiga nacional, papel para desenho com lápis, nanquim e caneta hidrográfica. Resistente, é transparente, apesar de opaco, e permite correções (raspagens). Fabricado com composto de fibras de madeira macia e dura, com tratamento contra fungos e bactérias, é vendido em rolo ou em folha padronizada. É muito utilizado para anteprojetos.
- papel supercalandrado - papel de acetinagem mais acentuada que a comum, obtida por meio de uma calandra (máquina) especial. (Dic. Michaelis)
- papel tela – papel telado; papel reforçado com tecido semelhante a gaze colado em uma de suas faces. (Dic. Aulete e Michaelis))
- papel timbrado - papel com timbre impresso que identifica o emitente e remetente da carta, documento etc. nele escritos. (Dic. Aulete)
- papel toalha – descartável, é um produto feito de celulose, e serve para o mesmo propósito das toalhas convencionais: secagem das mãos, limpeza de vidros, absorção de líquidos, etc. O papel toalha é vendido em rolos e é muita usado na cozinha. É encontrado nos banheiros públicos como toalha interfolha, toalha de mão de papel, em folhas que se interpenetram, e que, ao serem puxadas do dispositivo que as contém, saem uma de cada vez, ficando de fora a ponta da folha seguinte.
- papel vegetal - transparente, apesar de opaco, e resistente, possui diversas espessuras. Bom para desenhos a lápis, grafite ou nanquim, permite correções (raspagens). É usado em decalques, cópias, e desenho técnico em arquitetura e engenharia. Serve de matriz para cópias no papel ozalid. E também é usado na confecção do "cartão rendado", cuja principal característica são as perfurações, boleados e picotes, feitos nas bordas da peça, como se fosse uma moldura de renda.


- papel velino - papel com superfície muito lisa e macia, própria para a escrita; Por extensão, todo papel liso e macio, sem texturas. (Dic. Aulete)
- papel vergê (1) - papel avergoado (levemente transparente); tipo de papel no qual se notam linhas, horizontais ou verticais, chamadas linhas-d'água, produzidas, na fabricação, por fios metálicos existentes no rolo ou na forma. (Dic. Aulete)
- papel vergê (2) - é um tipo de papel mais duro e grosso que o papel sulfite, porém mais macio e fino que a cartolina. Sua textura é levemente rugosa o torna ideal para desenhos feitos a lápis grafite ou colorido. Também usado para a confecção de convites de casamento. (Fonte: Wikipédia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário