Vocabulário-Letra P (01)

Vocabulário - Letra P (01)
(de termos empregados nos assuntos ligados à Educação Artística)

Edição e Pesquisa de Lenise M. Resende

- padrão - modelo a ser reproduzido, ou exemplo a ser seguido; objeto ou característica escolhidos como critério de avaliação; (Estamparia) conjunto ou arranjo de figuras e ou cores, impresso em tecidos ou outras superfícies; desenho de estamparia; padronagem; pinta; (Tipografia) folha que recobre a almofada das máquinas de impressão; folha de padrão. (Dic. Aulete)
 
- painel - pintura composta por duas, três ou mais peças ligadas por meio de dobradiças que recebem, respectivamente, o nome de díptico, tríptico ou políptico; quadro, retábulo; divisória móvel ou fixa que se usa em museus ou salas de exposição; qualquer trabalho artístico ou decorativo recobrindo uma parede; (Publicidade) outdoor; anúncio pintado ou disposto sobre chapas de ferro, lonas, ou madeira, montadas em estrutura de madeira ou sobre paredes de edifícios; (Arquitetura) almofada de janela, móvel, porta etc.; (Escultura) baixo-relevo num monumento, e a parte emoldurada dele; baixo-relevo em forma de moldura, sobre uma superfície qualquer. (Dic. Aulete e Michaelis)

- painel das almas - pintura que representa as almas do purgatório. (Dic. Michaelis)

- palmiforme - palmatiforme; ornato semelhante à palma ou à folha de palmeira. (Dic. Aulete)
 
- papel-cartão – desenho executado sobre papel forte ou sobre cartão, para servir de modelo a diversas obras tais como pintura, tapeçaria, mosaico etc.; papel espesso de consistência entre a cartolina e o papelão, de forma retangular, usado para os mais diversos propósitos. (Dic. Aulete)

- papel machê - massa maleável feita de polpa de papel e aglutinante (cola, farinha etc.), usado para modelar objetos decorativos, bonecos etc. (Dic. Aulete)

- parafina - material sólido, branco, translúcido, subproduto do petróleo, mistura de hidrocarbonetos saturados sólidos usados na fabricação de fósforos, têxteis, velas, cosméticos, giz de cera, papel carbono, tintas, pinturas etc.(Dic. Aulete)

- parafina líquida - líquido oleoso, límpido, incolor, insolúvel em água, solúvel em éter, benzina ou clorofórmio; vaselina líquida. (Dic. Michaelis)

- passe-partout - cartão recortado como uma moldura para enquadrar desenho, fotografia etc.. É feito para garantir a segurança da imagem, já que o passe-partout geralmente possui uma espessura maior (em média 1,5 mm). O espaço entre a obra e o vidro cria uma barreira de ar que evita a transferência de umidade pelo vidro. Além disso, o papel com pH neutro ajuda a proteger o trabalho artístico contra fungos e também contra a umidade.

- pastel (1) - (Artes plásticas) tipo de pintura a seco, de cores suaves, feita com lápis especial; (Artes plásticas) quadro realizado com essa técnica; lápis usado nessa pintura; cor tênue, pálida do pastel; que é de cor suave, esmaecida. (Dic. Aulete)

- pastel (2) - tipo de lápis de cor, criado no século XV e fabricado em forma de pequenos cilindros, a partir de uma mistura de pigmentos com cola e goma-arábica. É usado para desenhar e pintar, normalmente em papel de tom neutro, e exige o uso de um fixador ou de uma proteção de vidro para manter seus pigmentos secos presos ao suporte em que foi aplicado. É considerado o mais opaco de todos os materiais usados nas artes visuais e teve grande importância na realização de retratos, durante o século XVIII, na Europa. Odilon Redon (1840-1916), e sobre tudo o artista Edgar Degas (1834-1917), deram ao pastel um novo estatuto, já que até então ele se limitara ao uso por amadores e diletantes e artistas de pouco prestígio. O termo também é usado para nomear a técnica e o tipo de pintura feita com esse material. (Fonte: Itaú Cultural)

- pasticho - do francês pastiche; imitação ruim de uma obra literária ou artística. (Dic. Michaelis)

- pátina - técnica da pintura decorativa usada para proteger, recuperar peças desgastadas ou produzir uma aparência envelhecida em objetos de madeira, gesso e metal. A técnica surge como imitação de um processo natural de oxidação do cobre e do bronze que cria, sobre suas superfícies, uma camada externa esverdeada. É especialmente utilizada em peças de mobiliário, oratórios, imagens sacras, molduras de quadros e variados objetos de decoração, normalmente em tons pretos, castanhos e verdes. (Fonte: Itaú Cultural)

Nenhum comentário:

Postar um comentário