Artesanato-Cestaria2

Artesanato Brasileiro – Cestaria (2)
Edição e Pesquisa de Lenise M. Resende
 
Alguns materiais usados em cestaria e artesanato em fibras:

- acumã-rasteiro - espécie de palmeira que fornece fibras têxteis. Também lhe chamam ariri, guriri, indaiá-rasteiro, indaiá-do-campo.
- apuí - planta trepadeira (cipó) da Amazônia.
- airi - palmeira também chamada de: airíri, iri, irucurana, coqueiro-brejaúba; brejaúva ou brejaúba, sua palha é usada na confecção de chapéus.
- aricuri - VER ouricuri
- ariri - VER acumã
- arumã ou guarimã - uma espécie de junco; planta marantácea com que se fazem balaios, paneiros, etc.
- babaçu - palmeira que é muito comum na região amazônica, no Brasil central e no Nordeste. Suas folhas fornecem palha branca para cobrir tetos de casas, e também para fazer cestos, chapéus e esteiras.
- bambu - denominação comum a várias espécies da família das gramíneas, especialmente as do gênero Bambusa, de caule muito alto e resistente, encontradas em grande parte das regiões tropical e subtropical. No Brasil existem cerca de 250 espécies nativas. Recém-colhido, o bambu é cortado em tiras finas que são trançadas para fazer cestos, objetos de adorno, peças de mobiliário, gaiolas, alçapões, peneiras, esteiras de carro-de-boi, instrumentos musicais. O bambu também é usado na construção de forros, paredes, portões, cercas e luminárias.
- bananeira -  a palha e a fibra da bananeira possibilitam a confecção de uma grande variedade de produtos. A palha é produzida a partir das bainhas foliares extraídas do pseudocaule da bananeira, que equivale a seu tronco. As fibras do talo central das folhas, de textura fina, são usadas na confecção de bolsas, esteiras, sacolas, chapéus, tiras para sandálias, etc. Das fibras do caule, misturadas a outras mais resistentes, são feitos cestos, capachos e sacolas.
- biri - tipo de gramínea; sua palha é usada na fabricação de cestos e esteiras.
- brejaúva ou brejaúba - VER airi
- buçu ou ubuçu - é uma espécie de palmeira (Manicaria saccifera) nativa da Amazônia. Do invólucro que protege o cacho de seus frutos, semelhante a um saco de material fibroso e resistente, é extraída uma fibra chamada de tururi.
- buriti - buritizeiro; coqueiro-buriti; muriti; palmeira-dos-brejos; carandá. Palmeira (Mauritia vinifera) de cujas folhas se extraem fibras usadas na confecção de bolsas, cestos, chapéus, chinelos, etc.
- cana-brava - cana-do-rio; cana-do-brejo; cana-ubá; ubá; candiubá. Erva alta da família das gramíneas (Gynerium sagittatum), cresce em terra úmida, e suas folhas são usadas na confecção de balaios, cestos, peneiras e tapetes.
- capim – depois de seco é trançado e usado para fazer bolsas, cestas e chinelos.
- carandá ou buriti - palmeira também chamada carandá-muruti, carandá-guaçu, carandá-piranga, carandaú, carandaúba e coqueiro-carandá.
- carnaúba - palmeira encontrada nos solos aluviais dos principais rios do CE, PI, RN, PE e BA, sua palha é usada na confecção de caixas, cestos, bolsas, chapéus e esteiras.
- cipó - designação comum a plantas trepadeiras cujos ramos se trançam nas árvores como se fossem cordas. O cipó é trançado ainda verde, sem tratamento prévio, especialmente o cipó-caboclo, o cipó-imbé e o cipó-una, que depois de maduros perdem a maleabilidade e se tornam quebradiços. Dos cipós de fibra, um dos mais conhecidos é o cipó-titica. Ele pode ser trançado e serve para amarrar cargas ou para a fabricação de móveis e cestos. O cipó-imbé e o cipó-jacitara são muito usados na confecção de cestos, balaios, peneiras e abanos. A fibra do cipó-de-fogo, bem grossa e resistente, é utilizada para a fabricação de sofás, cadeiras, etc.
- coqueiro – com a fibra de palha de coqueiro é feita a pindaíba, corda usada na confecção de cestos e chapéus.
- criciúma - nome de diversas plantas das gramíneas, especialmente a Chusquea capituliforme, taquara fina e flexível usada na fabricação de cestos.
- juçara – açaí; açaizeiro; palmito; palmito-juçara; jiçara; ripa; palmeira comum nas matas brasileiras, tropicais e subtropicais (Euterpe edulis), cuja parte terminal é comestível e conhecida como palmito; sua palha é usada na confecção de cestos.
- junco - designação comum a várias plantas herbáceas das famílias das ciperáceas e juncáceas, flexíveis e lisas, que crescem em lugares úmidos e cujas folhas, trançadas, servem de material para fabricação de cestas, assentos, encostos de cadeiras etc. O cipó-titica também é conhecido como junco.
- jupati -  (Região Norte) palmeira sem caule visível (Raphia taedigera), ou de tronco de apenas dois metros. Do pecíolo de suas folhas tiram-se longas fibras cilíndricas, brancas, leves, de que se fazem chapéus, cestos e coberturas de garrafas. Também é chamada de palha da costa ou ráfia africana.
- inajá - inaiá; indaiá; indajá; anajá; anaiá; perinã; palmeira nativa da região amazônica. As folhas são usadas na construção de paredes e coberturas das malocas. A base da estrutura de sustentação das folhas vira ponta de flecha, e a espata transforma-se em assento e cestos.
- macambira - planta da família das Bromeliáceas encontrada nas regiões mais quentes e secas das caatingas brasileiras, suas folhas fornecem fibras utilizadas na fabricação de redes.
- ouricuri - (Região Norte) palmeira (Cocos coronata) que também é chamada de: alicuri, aricuri, aricuí, ariri, licuri, licurizeiro, nicuri, ouricurizeiro e uricuri; sua palha é usada na confecção de bolsas, chapéus e esteiras.
- palha - existem vários tipos de palha e os tipos mais utilizados para o artesanato são: palha de bananeira, de coqueiro e de milho.
- palha de milho – quando secam, as folhas do milho e o folhelho (película que envolve a espiga), transformam-se na palha, que trançada, compõe variados objetos como baús, bolsas, cestos e flores.
- piaçaba – tipo de fibra de dois tipos de palmeira, que é usada na confecção de cordas e vassouras.
- pindoba – tipo de palmeira nativa das matas serranas, especialmente da Serra dos Órgãos; sua palha é usada na confecção de caixas, cestos, bandejas, esteiras e objetos decorativos.
- piri ou piripiri - espécie de junco, nativo dos brejos, é utilizado para a confecção de esteiras.
- pita - com as fibras da folha da piteira confeccionam-se tranças, usadas em diversas peças artesanais e complementos de arreios (selas) de montarias.
- ratã (rattan) – palmeira de origem asiática que se assemelha ao bambu. No Brasil, também é chamado de ratã o trançado feito com a fibra do vime junto a algumas fibras do junco.
- salgueiro ou vimeiro - planta salicácea (Salix viminalis), cujos ramos flexíveis são usados para a fabricação de artefatos e móveis de vime. No Brasil, o maior produtor de vime é o estado de Santa Catarina.
- sisal - planta originária do México, no Brasil, os principais produtores são os estados da PB e da BA. A fibra de suas folhas, após o beneficiamento, é usada na confecção de barbantes, cordas, fios, tapetes e tecido grosseiro para sacos.
- taboa ou tabua - planta herbácea nativa dos brejos. Sua fibra flexível e resistente, trabalhada depois de seca, serve para a confecção de esteiras, bolsas, cestas, sacolas, chinelos, descansos de pratos, tapetes e redes.
- taquara - taboca; nome comum a várias plantas altas da família das gramíneas cujo caule é geralmente oco, como o bambu; são várias as denominações vulgares da taquara: a taquara-manteiga é a mais fina e flexível, a taquara-lixa é a mais comum, e a taquaruçu é a de maior diâmetro.
- tucumã - tucum; coqueiro-tucumã; tucumã-açu; tucum-açu; tucum-do-mato; palmeira (Astrocaryum aculeatum) nativa do Norte do Brasil, de cujas folhas se extrai a fibra conhecida como tucum, empregada para fazer tecido grosseiro para sacos, redes, linha de pesca, etc. O costume de tecer os fios de tucum é originário dos povos  indígenas da Amazônia.
- tururi - (Região Norte) é a fibra extraída do invólucro que protege o cacho de frutos do buçu, semelhante a um saco de material fibroso e resistente. É uma fibra muito flexível e resistente e flexível que é transformada em tecido na confecção de artesanatos e utilitários de moda. Os índios utilizam o tururi na calafetagem de embarcações, cobertura de palhoças, e confecção de peças de vestuário, bolsas, chapéus, sacolas e bonecas. Além da fibra, eles também utilizam a entrecasca da árvore, que é usada como suporte para desenhos. 
- ubá - VER cana-brava
- urubá - planta da família das marantáceas (Maranta uruba); sua palha é usada na confecção de peneiras.
- vime - buinho; vara tenra e flexível de vimeiro (salgueiro) que, depois de descascada e seca, serve para a fabricação de cestas, móveis e outros utensílios. Na confecção de móveis o vime é trançado com reforço básico de madeira.
 
(Fontes: Dicionários Aulete e Michaelis; Wikipédia)

Blog Vendo & Revendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário